Descoberta.

No mais fundo de sua alma Há remansos ou cascatas? Há pradarias ou vulcões? Coisas confusas ou exatas? Placidez ou erupções? Sejam quais forem Há que aceitá-las. Às más, ao se proporem, Há que evitá-las Viver é esse misto De vitórias e derrotas Deste sítio onde existo E ir entrando em outras portas Pois mesmo […]

Dadá.

É com sabor Com desamor Rubor e fulgor E le Cabaret, le Cabaret, le Cabaret VOLTAIRE Sem senso Dissensos e contra-sensos  Pura intenção Com amor e sem pão Que sabe-se da coisa mais louca Toca que brota, soa, é oca: “O pensamento se faz na boca.”  Antológicas, página 111. Imagem de capa: Domínio público, por […]

Coletânea poética “Azul Instantâneo” ganha segunda edição

A Pátria – Jornal da Comunidade Científica de Língua Portuguesa apresenta hoje uma coletânea poética que tem sido lida um pouco por toda a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), através da sua versão digital. A obra intitula-se Azul Instantâneo e é da autoria de Pedro Vale. A coletânea foi lançada em formato impresso […]

Bem-te-vi.

Bem te vi, te vi, te vi Não foi aqui, aqui, aqui Foi em outras plagas, mansas, distantes Que, não como dantes, se cantava assim Te vi, te vi… Não voastes passarinho Nunca soube se tens ninho Nunca fui chamar-te ali Vistes não, vistes não Não me vás chamar por tu Que eu sou nobre […]

Barceló

Velha Barcino Que te querem outra Montjuic lá no alto Sempre outra E mais outra ‘Ensanche’ além E sempre como um menino Que se transforma em homem Com quem se travam guerras E que os diabos comem És sempre outra E ainda outra A indicar outro rumo Revolta que revoltada Está sempre a prumo. Antológicas, página […]

<strong>Sílvia Vasconcelos</strong><strong> enaltece a poesia de José Saramago</strong>

Sílvia Vasconcelos

Na passada quinta-feira, dia 18 de agosto, o Centro Cultural e Galeria Anjos Teixeira, sediado no Funchal, na ilha da Madeira, acolheu a médica veterinária e poetisa Sílvia Vasconcelos, no âmbito do ciclo de conversas sobre as obras literárias de José Saramago. Recorde-se que esta iniciativa cultural, intitulada “Palavra Resistente. Com Saramago”, integra o programa […]

Avozizinha minha.

                                              para D. Adelina da Fonseca Paraná. Menos de metro e meio de altura Comia em pé todos os dias o mesmo Seu arroz embolado com moída  E a banana extremamente madura Seu […]

América latina vive…

Vozes da latino América Voz de longo tremular Tua alma fez-se quimérica Teus cantos souberam marcar Presenças que não se escusaram E prementes se fizeram ouvir Hinos que juntas entoaram Para que as soubéssemos discernir Canta Tamayo uma Bolívia estridente Márquez uma Colômbia impossível Borges uma Argentina entredentes  Neruda um Chile irreprimível Galeano um Uruguai […]

O Noel de um país nada rosa

São diversas as abordagens sobre a trajetória e a obra do compositor carioca Noel Rosa – nascido há 110 anos, em 11 de dezembro de 1910. Uma das mais interessantes é a que articula suas canções às propostas modernistas brasileiras. Santuza Cambraia Naves é uma das pesquisadoras que lança esse olhar no seu livro O Violão […]

O Passeio dos Tristes

Há um passeio à beira-rio Por onde passeiam almas apaixonadas Vazias num mundo vazio Num mar de águas calmas, afogadas! São açoitadas pelas doces vagas, Que se esmagam, uma a uma, no pontão, São imagens vivas de tristes sagas, Sonhos velhos encerrados num jovem coração. Somente elas reconhecem as faces da dor, No rio, e […]

Carlos Drummond de Andrade é tema de curso e filmes gratuitos

Neste sábado, dia 31, o Instituto Moreira Salles (IMS) vai celebrar o Dia D – o Dia de Carlos Drummond de Andrade – com produções culturais de alto nível. O aniversário do poeta mineiro, que nasceu em 31 de outubro de 1902 em Itabira (MG) e morreu em 17 de agosto de 1987, no Rio de […]

Concurso de poesia para cidadãos da CPLP tem prémio de 20 mil euros

Até 23 de outubro a Câmara Municipal de Oeiras recebe as inscrições para o prémio de poesia, destinado a residentes nos países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), com valores pecuniários de 20.000 euros para consagração e 5.000 euros para revelação. Este é o prémio com maior valor pecuniário para a Poesia em […]

A vontade de suicídio às vezes é tédio inassumido: ouçamos música, portanto!

Composto por apenas nove faixas, o novo álbum de Adriana Calcanhotto reflete bem o espírito de resistência íntima em meio ao confinamento: foi gravado em menos de dois meses e composto de maneira quase automática. Segundo entrevistas, a cantora já acordava inspirada para escrever as canções, incluindo-as no álbum à maneira que foram surgindo. E ela merece aplausos por isso: o disco é ótimo!

Gota d’Água

Era apenas uma gota d’água, Que do céu caía desamparada, Sem cor, sem luz, sem nada, Símbolo da pureza celestial, Que em breve se veria afogada Na imensidão do oceano abissal; Sem nunca ter feito nada Senão cair no meio de um temporal! Pobre gota d’água, Que dor, que lástima sentia, Que grande mágoa tinha […]

Poema “O rio”

O RIO Não queiras atravessar o rio… Deixa que ele te leve! Não queiras ser mais forte que a corrente… Deixa que ela te dê a força! Não queiras saber o destino… Deixa que ele te encaminhe! Ele te leva… Ele te dá a força… Ele te encaminha… Só tens de acreditar e deixar-te levar! […]

Poema “Acreditar”

Poema Acredirar do livro de poesia Entrelinhas de Paula Laranjo
Fotografia da Ilha do Pico de Paula Laranjo

Poema: Abraço

Este abraço que nos une é feito de pedras preciosas.   É doce… É quente… É meigo… É envolvente…   Este abraço que nos une é feito de olhares.   Os olhares se cruzam, os verbos se conjugam, as mãos se entrelaçam, os corações se unem.   Este abraço que nos une é feito de […]

Os sonetos de Florbela Espanca: resenha e semelhanças à obra do contemporâneo Fernando Pessoa

Lendo os sonetos de Florbela Espanca é impossível não comparar a sua obra à de outros grandes nomes da poesia portuguesa, como Fernando Pessoa. Um poema dedicado à autora encontrado no espólio de Pessoa inclui a passagem “Dorme, dorme, alma sonhadora,/Irmã gémea da minha!”. Parte da possível semelhança entre os poetas retratada nessas palavras é também visível nas suas obras.