EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

Ocasos d’alma.

Ocasos d’alma.

Sombras longas, sombras outonais

De fim de tarde

Quando elas se alongam mais

E sem alarde

Nos restos do meu coração sem umbrais                                    

Então guardam

Toda a extensão dos meus ais

Para que ainda ardam

Com meus sonhos ademais

Extensão que se resguarda 

Na influência de outros males viscerais

E que mesmo assim nunca tarda

E, junto com essas sombras, me ensombra mais.

Antológicas, página 123.

Imagem

Descarregar artigo em PDF:

Download PDF

Partilhar este artigo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

TAGS

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

LOGIN

REGISTAR

[wpuf_profile type="registration" id="5754"]