Congresso Luso-brasileiro de Gestão e Conformidade conclui com 85 trabalhos de investigação apresentados

Congresso Luso-brasileiro de Gestão e Conformidade conclui com 85 trabalhos de investigação apresentados

Concluiu-se hoje a 1ª edição do Congresso Luso-brasileiro de Gestão e Conformidade, evento científico internacional que resulta da parceria realizada entre Instituto Iberoamericano de Compliance (Brasil) e o Instituto Superior de Administração e Línguas – ISAL (Portugal). A Ponte Editora e A Pátria associaram-se a esta iniciativa que reuniu meia centena de investigadores do Brasil, México e Portugal e contou com a apresentação de oitenta e cinco trabalhos de investigação científica e cinquenta apresentações orais divididas por seis grupos de trabalho.

O evento que teve início ontem pelas 12h30, estendendo-se até às 23h00 (hora de Lisboa), contou com as intervenções de duas dezenas de palestrantes convidados. A sessão de abertura contou com as intervenções dos organizadores do evento, Fabrizio Bon Vecchio e Sancha de Campanella, em representação do Instituto Iberoamericano de Compliance e do ISAL, respetivamente.

Nesta ocasião Sancha de Campanella, Vice Diretora Geral do ISAL, referiu que, “pretende-se trazer para o debate a necessidade de implementação de regras de conduta e códigos de ética, que incentivem mais a prevenção do que a repressão”. E, congratulou-se pela oportunidade desta parceria ampliar a área de intervenção do ISAL no panorama científico internacional. 

Também presente na sessão de abertura deste congresso, esteve Miguel Silva Gouveia, Presidente da Câmara Municipal do Funchal. O autarca começou por dar as boas-vindas aos congressistas, destacando ser uma honra a cidade do Funchal “acolher este primeiro congresso, uma conferência internacional que graças as novas tecnologias decorre em simultâneo na nossa cidade e no Brasil, reunindo palestrantes de renome da comunidade ibero-americana, no sentido de estreitar pontes e partilhar conhecimento sobre as melhores práticas para a mitigação de riscos e para a implementação de programas de conformidade e prevenção de crises nas instituições.”

O autarca aproveitou a ocasião para realçar as políticas de transparência e responsabilidade social da atual edilidade, atuando nas áreas em estudo, procurando “ir ao encontro das melhores práticas, nomeadamente ao nível da promoção da transparência, da rastreabilidade, e da participação cívica”, explicita. Destacou ainda a necessidade do processo de decisão estar assente “em métodos científicos e racionalidade”, que depois possam constituir bons instrumentos para os decisores políticos “poderem assentar a planificação da sua cidade.” O Presidente destacou ainda, a importância do “envolvimento dos cidadãos na construção do processo decisório da sua cidade”.A participação cívica tem sido um foco do Executivo municipal, criando instrumentos que vão até aos cidadãos, auscultando as suas ideias e contribuições para que o processo decisório seja também ele o mais robusto possível”, acrescentou. Esta primeira sessão do Congresso decorreu das 12h30 estendendo-se até às 23h00.

De acordo com nota enviada pela organização às redações, o ISAL destaca as comunicações de vários docentes palestrantes, nomeadamente, Élvio Camacho (Diretor de Curso) com “Compliance e Governança”, Sancha de Campanella (Vice Diretora Geral) com o tema Compliance e a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção”, Sérgio Teixeira (Presidente do Conselho Técnico-Científico do ISAL, com “Gestão de compliance no setor do Turismo”, entre outros. Os docentes também integram o conselho científico deste Congresso. Também de destacar é a comunicação apresentada por Eduardo Leite, Professor-Adjunto na Universidade da Madeira e Diretor do Jornal A Pátria, parceiro do congresso.

O evento científico contemplou seis grupos de trabalho que refletiram sobre as seguintes áreas: “Compliance digital, direito digital e inteligência artificial”; “Compliance público, compliance laboral e sistemas de compliance”; “Compliance contratual, ambiental e na educação para as instituições financeiras e compliance tributário”; “Anticorrupção, criminal compliance e lavagem de capitais”; “Proteção de dados e privacidade e lavagem de capitais”; e outros.

A sessão de encerramento contou com as intervenções de Fabrizio Bon Vecchio e de Sancha de Campanella, em representação do Instituto Iberoamericano de Compliance e do ISAL, respetivamente. O congresso findou pelas 22h00 de hoje (hora de Lisboa).

Pode consultar a programação em:

(Fotografia de capa D.R. André Gonçalves / Cortesia da C.M.F)

Descarregar artigo em PDF:

Print Friendly, PDF & Email

TAGS

Deixe o seu comentário

LOGIN

REGISTAR